top of page
Buscar

Com mais de 1.600 inscritos, 10 palestras em 3 dias de evento, XIV Conjuri supera expectativas






Os números da 14.ª edição do Conjuri reforçam a importância e a grandeza do maior congresso jurídico para estudantes do Brasil, realizado pela OAB Maringá. Durante três dias (9, 10 e 11 de agosto), 10 especialistas subiram ao palco do Centro de Eventos Lebloc e do auditório da Subseção, para discorrer sobre temas atuais e relevantes, falando para público de mais de 1.600 pessoas, entre acadêmicos, professores e advogados.


Além de nomes da área jurídica, como Marilena Winter, Luiz Fernando Casagrande Pereira, Caio Bartine, Marcos Dessaune, Juliano Mânica, Maurício Domingos, Alberto Luís Marques dos Santos, Michele Nader e Eduardo Betini, nesta edição o evento contou com uma novidade: o filósofo Luiz Felipe Pondé.


“O Conjuri cumpriu, em mais uma edição, seu objetivo, promovendo debates e reflexões de temas atuais do direito, sob a perspectiva de profundos conhecedores dos temas tratados, complementando, em certa medida, lacunas não preenchidas na graduação”, apontou o coordenador-geral do evento, Eder Fabrilo Rosa, presidente da OAB Maringá.


E nessa edição, a coordenação buscou promover um debate para além do direito. “Tendo ciência que o pensamento crítico é essencial para o advogado, trouxemos o Pondé, responsável por proporcionar uma reflexão acerca da história e da condição humana, dos desafios atuais e futuros.”


Na oportunidade, Eder parabenizou os organizadores da edição histórica do congresso, em especial o advogado e professor Roberson Neri Costa e a diretora da Subseção Marice Taques, os coordenadores das faculdades participantes, funcionários da Subseção e demais envolvidos.


HOMENAGENS

A abertura do evento, no dia 9, teve a apresentação do Coral da CAA/OAB Maringá, e homenagens a três advogados e professores que faleceram nos últimos dois anos, Erick Mardegan, Leonardo Serra de Almeida Pacheco e Carlos Alexandre.


Em seguida, a presidente da OAB Paraná, Marilena Winter, falou do papel da OAB, não somente para a advocacia, mas para a democracia, dos desafios da profissão jurídica e de outros conceitos tão caros à advocacia.


No segundo dia do evento (10/08), foi a vez do professor Caio Bartine, coordenador tributário do Damásio Educacional, discorrer sobre um tema novo para os estudantes e para a maioria dos advogados, a tributação de novos mercados, a exemplo das criptomoedas, metaverso, etc.


DEMOCRACIA

O palestrante seguinte foi o filósofo Luiz Felipe Pondé, que trouxe importante reflexão sobre os tempos atuais e o papel da advocacia. “O mundo precisa de advogados, de juízes. Porque o poder judiciário é sem dúvida um pilar da democracia. Uma das coisas mais difíceis do discurso imbecil que circula nas redes sociais é não entender que você não precisa gostar (do Judiciário), mas você precisa respeitar, porque a democracia é um regime institucional, não é um regime de vontade, de paixão popular”, destacou.


O coordenador-geral da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP) e diretor-tesoureiro da OAB Paraná, Luiz Fernando Casagrande Pereira, foi o primeiro palestrante da última noite do congresso (11/08). Ele discorreu sobre uma matéria que não integra o currículo dos cursos de graduação, o direito eleitoral. “Espero despertar em vocês o interesse pela matéria, pois a advocacia eleitoral tem muito a ver com democracia, está no centro do debate do país hoje”, apontou.


O último a subir no palco do Lebloc foi o advogado Marcos Dessaune, autor do livro “Teoria ampliada do Desvio Produtivo do consumidor, do cidadão-usuário e do empregado”. “Essa teoria do dano extra-patrimonial ou dano moral em sentido amplo se contrapõe à jurisprudência baseada na tese do mero aborrecimento, que é uma jurisprudência defensiva, que busca afastar o crescimento de processos na justiça através de decisões que não têm um fundamento científico.”


PALESTRAS DO PERÍODO DA MANHÃ

Além das palestras que aconteceram no Lebloc, no período noturno, durante dois também ocorreram eventos no auditório da OAB Maringá, pela manhã.


No dia 10, o juiz Juliano Albino Manica, o conselheiro da Subseção, Maurício Domingos e Eduardo Betini foram os palestrantes.


Já o juiz Alberto Luis Marques dos Santos e a promotora Michele Nader proferiram palestra na manhã do dia 11. Em seguida, ocorreu o lançamento do livro “Teoria do Desvio Produtivo do Consumidor”, de autoria de Marcos Dessaune.


Paralelamente às palestras, a sede da OAB Maringá foi palco para a exposição de dezenas de trabalhos dos acadêmicos das faculdades participantes.

























































423 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page